#55

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Meu novo documentário: Existe Evolução Musical (no Heavy Metal) ?

       Muitos já conhecem meus projetos dentro do metal nacional, principalmente o  Heavy Metal On Line,  e todos sabem que o programa tem uma linha de objetivos bem definida, que é divulgar as bandas, lançamentos, eventos do metal nacional, tentando ser o mais profissional possível (dentro das nossas limitações), sem causar polêmicas, espalhar fofocas e sem fazer muita piada, porque também sou um cara bem sem graça.

Mas com o passar do tempo estou colocando em cena, através dos meus “ditos” documentários, temas que me causam inquietação a muitos anos. Então após abordar o tão caloroso tema sobre o Homem e a Obra, agora chegou a hora de falar sobre a Evolução Musical dentro do Heavy Metal.

Tudo bem, por mais que muitos não concordem comigo, mas quando digo fazer um documentário,  não quer dizer que tenho obrigação de buscar um emaranhado de informações, viajar o mundo pra entrevistar bandas, etc.etc. Também não tenho condições de parar minha vida pessoal para buscar um patrocínio, uma lei de incentivo a cultura, uma produtora profissional, para ajudar nas gravações e evitar que os depoimentos sejam gravados sem iluminação e sem que o entrevistado fique com o microfone na mão. Não, nada disto, apenas quero relatar através da nossa pequena estrutura, as idéias contidas em minha cabeça diante do tema, e pronto.

Então como sou um cara que tenho uma empresa de topografia no interior de Minas, moro longe da capital, três filhos pra cuidar, e tal,  faço tudo do meu jeito, da minha forma e sem aquelas paranóias dos ditos cineastas maconheiros, que viajam a vida inteira em um projeto e não conseguem colocá-lo no ar. Então aqui a coisa funciona assim, gravou ta na rede pros bangers conferirem.

Com relação a Evolução Musical no Heavy Metal,  muitos detalhes me intrigam com relação a sua existência, como por exemplo alguns estilos como o death metal seguiu caminhos mais extremos com o passar dos anos, o doom metal do inicio dos anos 90 passou por transformações e passaram a chamá-lo  de Gothic Metal, o Sepultura mudou radicalmente suas linhas de guitarra e por ai vai. Então, isto é evolução ? Ou Não ?

Para tirar minhas dúvidas, mais uma vez fui atrás, não dos envolvidos com o mainstream do heavy metal, mas sim das pessoas que fazem parte do meu contexto musical, para pegar os depoimentos que podem talvez me ajudar a compreender o tão confuso tema.

Até o momento conversei com pessoas ilustres da cena nacional e até mesmo internacional, como foi o caso de Julio Feriato (Heavy Nation), Edu (Nervochaos), Victor e Mauricio (Escarniun), Sakis (Rotting Christ), John McEnthee (Funerus, Incantation), Max Kolesne (Krisiun), Dilpho (Silent Cry), André, Tarcisio, Marlon (Suffocation of Soul), Neto (Venereal Sickness), dentre outros que ainda farão parte do documentário, com previsão de lançamento até o final do ano. 
Deixando claro que pretendo expor este tema, de forma simples e direta para os amantes do Metal Nacional como sempre fiz !!!

Clinger Carlos & 
Heavy Metal On Line

Um comentário:

  1. Maneira demais a iniciativa, Clinger! Parabéns e obrigado!!! Cris DeLyra.

    ResponderExcluir